ptenfrdeites

Google translate

A Grande Loja Simbólica da Lusitânia felicita Fernando Cabecinha pela eleição para Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano

ver mais

No seguimento das eleições no Grande Oriente Lusitano, no passado dia 20 de novembro de 2021 (e.'.v.'.), a Grande Loja Simbólica da Lusitânia felicita Fernando Cabecinha, eleito Grão-Mestre desta histórica e centenária Instituição Maçónica.

A Grande Loja Simbólica da Lusitânia exprime os seus votos para que o mandato seja profícuo, num triénio justo e perfeito, contando com um espírito fraterno de cooperação e colaboração, que deve pautar as relações institucionais entre ambas Obediências portuguesas, em sintonia com os princípios e valores fundamentais da Maçonaria Universal.

Ambas instituições são membros das duas principais organizações maçónicas internacionais: a A.M.E. (Aliança Maçónica Europeia) e a U.M.M. (União Maçónica do...

Maçonaria Espanhola solidária contra identificação em cargos públicos - Sábado

ver mais

Os maçons espanhóis consideram que se trata de "um enorme retrocesso em matéria de direitos e liberdades" num país que consideram irmão, classificando-o como "um flagrante exercício de discriminação". Para consultar a notícia, clique no link:

https://www.sabado.pt/ultima-hora/detalhe/maconaria-espanhola-solidaria-contra-identificacao-em-cargos-publicos

Maçonaria Espanhola solidária contra identificação e cargos públicos - TVI24

ver mais

"A Grande Loja Simbólica Espanhola manifestou esta sexta-feira a sua solidariedade e apoio às obediências maçónicas portuguesas contra o projeto de lei do PSD que obriga deputados e titulares de cargos públicos a declarar se pertencem a organizações “discretas”. 

Em comunicado, a Grande Loja Simbólica de Portugal adianta que a sua congénere espanhola “manifesta a sua solidariedade e apoio às Obediências Maçónicas portuguesas, nomeadamente à Grande Loja Simbólica de...

"Enorme Retrocesso." Maçonaria espanhola solidária contra identificação em cargos públicos

ver mais

Os maçons espanhóis consideram que o projeto de lei que obriga deputados e titulares de cargos públicos a declarar se pertencem a organizações "discretas" se trata de "um enorme retrocesso em matéria de direitos e liberdades" num país que consideram irmão. 

Para ler a notícia, clique no seguinte link: